Notas sobre Repertório Comportamental*

photo1

Quero discorrer sobre o que considero um dos temas mais importantes da psicologia: repertório comportamental, ou repertório de comportamentos. Começo com a compreensão de comportamento. Este termo, apesar de ser popularmente utilizado, se constitui aqui como conceito fundamental e, portanto, bastante diferente daquele difundido no senso comum. Em 1957, B. F. Skinner abre seu livro “O comportamento verbal” com a frase que se tornaria uma das mais mencionadas na ciência do comportamento: “Os homens agem sobre o mundo, modificam-no e, por sua vez, são modificados pelas consequências de sua ação” (1978/1957, p.15). Esta declaração pode ser entendida como uma das mais sintéticas para a compreensão do conceito de comportamento: os processos de relação do homem com o mundo. Micheletto e Sério (1993) esmiúçam a frase de Skinner: Continue reading

Notas sobre criminalidade e sistema prisional

judgement

Talvez este seja um tema bastante vulgarizado. Fala-se muito em criminalidade, violência, agressão. Fala-se tanto, na verdade, por isto fazer parte de nós, por estar presente em nossos cenários rotineiros. Basta apenas ligar a TV, comprar um jornal ou acessar um site de notícias. Um amigo me disse que se torcermos alguns jornais impressos, tal como fazemos com um pano molhado, o noticiário em papel derramará sangue. Chistes à parte, é preciso refletir sobre algumas questões, a meu ver, importantes que embasam aquilo que pensamos e ansiamos acerca do comportamento humano especialmente no convívio em sociedade. Não podemos negligenciar o fato de que políticas públicas de segurança, investimentos em desenvolvimento humano e qualquer outra ação governamental são alicerçados por uma concepção de humano. Portanto, refletir e analisar esses alicerces, tal como faz a defesa civil ao verificar as estruturas de uma construção, julgo de extrema importância. Sobre isto gostaria de rascunhar algumas ideias (talvez batidas também – aceito comentários e acréscimos!). Continue reading

Notas sobre Superproteção

Notas sobre superproteção

Os pais têm verdadeiro medo dessa palavra e suas variantes. “Superproteção”, “superprotetores”. Socialmente é mais que um rótulo. Quase um diagnóstico, pode revelar pais ansiosos, medrosos, receosos, preocupados excessivamente. E quem deseja desvelar suas fraquezas? Preocupados e inseguros, todos somos. As coisas começam a complicar quando os pequenos monstros que constituem nossa humanidade são alimentados e, crescendo, passam a ditar as regras de nossa existência. No caso do comportamento parental, ambos sofrem, mas os desdobramentos maiores recaem sobre os filhos. Este tipo de cuidado caracteriza o que nós, psicólogos analistas do comportamento, denominamos “contingência armadilha”, pois sinaliza benefícios em curto prazo, mas num período de tempo mais extenso as consequências atrasadas podem ser desastrosas e aparecer em qualquer idade. Falarei de algumas delas. Continue reading